Depoimentos

Flávia Benevides

Cheguei num sábado, final do mês de julho de 2010 acompanhada por um casal de amigos.

Não me lembro se fui para o passe, provavelmente sim, pois, seria consultada.

Sentei-me, sempre achando que todos me olhavam diferente, como se soubessem o que se passava comigo. O coração disparado e batendo tão forte que sacudia a blusa.

Não me lembro do rosto de ninguém, nem o que foi falado na palestra, nem do palestrante. Estava voltada inteiramente para mim, para minhas reações físicas.


Diagnóstico: início de depressão e síndrome do pânico. Rezava a todo instante para que Deus com sua infinita misericórdia me desse forças para permanecer até o final, mesmo sem ouvir nada do que falavam. A única coisa que veio nos meus ouvidos foi “Flávia”, meu nome para ser atendida. Graças à Deus. Era chegada a hora da minha Salvação. Entrei na sala de cura, sentei-me e logo “ele” ficou de pé, pôs uma das mãos sobre minha cabeça por uns segundos, soprou, sentou de volta e me olhou. Disse-me que meu coração batia tão forte que dava pra ouvi-lo de onde ele estava, inclusive, o sangue circulando. Meu coração chorava incessantemente e doía como nunca imaginei que fosse possível, achava que era apenas força de expressão quando se sofre de algum mal do “coração”. Descobri que ele dói e arde, literalmente. Num dos momentos do atendimento, segurou minhas mãos e olhando profundamente nos meus olhos, que aquela altura já havia derramados rios de lágrimas, disse-me para confiar nele, que tudo daria certo e que seria muito feliz. Não esqueci e nem quero esquecer daquele olhar.


João Emmanuel confiou como se fosse o próprio Deus me falando (nem imaginava quem realmente era). Fui convidada para participar dos estudos e palestras, mas só depois de muitas consultas seguintes, à base de muito choro, desespero e sofrimento, comecei a frequentar os estudos. Antes do relato sobre os estudos, aconteceu minha ida para a campanha de distribuição de cestas básicas e visita ao Hospital da Mirueira (de hansenianos). Estava empolgada, ainda com “medo do medo que dá”. Chegando lá, posamos para foto do grupo, todos sorridentes, inclusive eu, que já conseguia lembrar de alguns rostos e palavras.


Nunca comentei, mas, a Irmã Oriana foi a pessoa que mais me marcou nesse dia.

Sentia algo mais que atenção em seu olhar, havia certa preocupação, mas, acima de tudo, muito carinho e bem-querer comigo.

Enfim, entreguei cestas e orei junto aos Irmãos, depois fiquei conversando com um senhor muito simpático, Senhor Simão, até irmos embora. Chegando a Casa pensei: Minha vida está voltando ao normal. Sorriso estampado e leve, depois de muito tempo enclausurado dentro de mim. Voltando aos estudos, segundas e quartas. Tornou-se a expectativa de toda semana. Os primeiros dias foram ainda assustadores, não com o que via, mas, ainda pelas reações psicossomáticas do pânico, tudo ainda muito forte, mas, a cada ida percebia a diferença, mesmo que quase imperceptível para os de fora, só eu sabia o quanto que mudava e sempre para melhor. Larguei minha psicoterapia, não tomei os antidepressivos e hoje em dia tomo chá de Camomila ao invés de um ansiolítico.


Confesso que ainda não atingi o máximo que sei que é possível e que acontecerá, mas, tenho plena consciência que melhorei mais de 1000% de quando cheguei nessa Casa. Falta pouco para atingir a alegria e leveza que fazem parte de mim e sei que agora estão comigo.
Hoje, aliado aos estudos, faço acupuntura e que se torna uma terapia, pois, tenho a felicidade de ser atendida por nosso médium dirigente da Casa, espírito iluminado que só irradia amor, que sempre nos passa um recado ou conselho e está sempre à disposição para nos ouvir acompanhado de toda luz que o cerca.

Sinto-me parte de uma nova família.

Quando você ouvir que “só Deus salva”, pode ter certeza disso, porque Deus é amor e levanto as mãos aos céus para dizer que fui salva pelo amor. Existe algo mais bonito que isso? Seja no Centro ou fora dele, nesses últimos nove meses minhas forças vieram através desse amor Divino irradiado por meus amigos-Irmãos.


Muito obrigada!"


Flávia Cristiane Barbosa Benevides.
Recife, 07/02/2011

Era o mês de abril de 2010, época de muita tristeza, ansiedade e desequilíbrio psíquico em minha vida pessoal. E foi justamente nesse período conturbado, que fiquei sabendo através do meu cunhado, Marlon Moura, que havia uma Casa Espírita onde um médium trabalhava com o Dr. Fritz. E movido meramente pela curiosidade pelo fenômeno mediúnico, decidi conhecer a referida Casa. Na primeira visita, devido empecilhos diversos, cheguei atrasado e não pude me consultar. Assisti a reunião, gostei da forma diferente da realização dos estudos, das pessoas, e principalmente da energia amorosa que emanava daquele ambiente. Voltei na reunião seguinte, dessa vez cheguei a tempo de pegar a ficha de consulta. E ao adentrar na câmara de cura, a grande surpresa, fui tomado por um turbilhão de emoções, ao ser fitado pelo Divino João Emmanuel. Aquele olhar transpassava-me a alma, causando em mim uma comoção jamais sentida. Quase sem conseguir articular às palavras, peguei a ficha com as orientações sobre o tratamento e saí sem fazer nenhuma pergunta. Iniciei o tratamento, e a cada reunião que assistia me sentia mais atraído e familiarizado com a Casa. Ao terminar o tratamento retornei até ele. E aí sim, abri meu coração! Falei dos meus medos, anseios, dificuldades, enfim, do vazio existente no meu íntimo, o qual parecia clamar por socorro. Sentia-me como um náufrago que havia encontrado a tábua de salvação. E ele na sua grandiosa simplicidade, disse que ia me ajudar. E como ajudou... Depois daquela conversa minha vida mudou substancialmente. Comecei a experimentar a calma e a serenidade que me foram transmitidas por esse enviado divino. Inúmeras vezes retornei àquela sala, a maioria das vezes para pedir algo, e sempre fui atendido com a generosidade e boa vontade característica dos espíritos superiores. A diferença é que jamais voltei a sentir a tristeza e a angústia que antes experimentara.  Graças à bondade e a misericórdia divina, encontrei o médico da minha alma.


Não poderia falar de João Emmanuel, sem citar seu instrumento mediúnico. Quando presenciei pela primeira vez Lima fazer uma explanação sobre o amor, fui profundamente tocado, pois, nunca havia conhecido alguém que falasse de amor daquela forma. Logo eu, que até então, duvidava da capacidade de amar do ser humano, encontrei um homem que diz, que “amar é para os corajosos”, que o compromisso com Deus está acima de tudo, que a vida espiritual é a que realmente importa. Alguém que abre mão de sua própria vida em prol de ajudar os outros. Sem sombra de dúvida, um espírito iluminado com a missão de nos ajudar a chegar até Deus. Seja através do seu exemplo de vida, da sua luta constante para nos socorrer espiritualmente, enfim, da sua obstinação em nos mostrar o melhor caminho a seguir.

 

​​É difícil expressar com palavras e em tão poucas linhas, todo o meu sentimento de gratidão para com essa Casa... Pois, foi aqui no Grupo Espírita Mahatma Gandhi, que encontrei a paz que tanto procurava. Hoje vislumbro novos horizontes a se abrirem para mim. Sinto minha consciência espiritual se alargar a cada dia. Quanto mais participo dos estudos, dos trabalhos, enfim, quanto mais me dedico à vida espiritual, sinto mais fortalecida a minha fé em Deus, e nos Mentores Espirituais da Casa.

Para finalizar, a palavra que me vem à mente é GRATIDÃO. Agradeço à Deus a oportunidade de fazer parte do projeto de amor e caridade, que é essa Casa, ao Divino João Emmanuel, por todo o amparo e proteção que recebi ao longo desses quase dois anos, ao querido Irmão Lima, mestre, instrutor espiritual, conselheiro, entre tantas outras atribuições, pela paciência, dedicação, disponibilidade plena e irrestrita, enfim, pela sua luta incansável para nos ajudar a chegar à divindade, a todos os Trabalhadores da Casa, pelos ensinamentos, amizades, pelos trabalhos espirituais realizados em conjunto. Rogo a Deus, Pai-Criador de tudo e de todos, que nos fortaleça em nossos propósitos de renovação espiritual. Que possamos continuar unidos nessa caminhada para a luz. E que encontremos a felicidade e a paz que tanto desejamos."


                                                                           Nelson Silva

21/02/2012

Nelson Silva

De:

Nelson Silva
Flávia Benevides

Nesse espaço você poderá conhecer algumas experiências vividas por integrantes do Grupo Espírita Mahatma Gandhi.​

 

Loja online

Adquira nossos livros e produtos personalizados e receba em casa!

Como ajudar

  Há várias maneiras de ajudar! Você pode contribuir com nossas ações doando:

Produtos

de limpeza

e higiene

Roupas novas

ou usadas

Eletrodomésticos,

eletroeletrônicos, móveis, etc.

Seu tempo.

Seja um voluntário!

Doação online ou

em conta bancária

Doar

Saiba mais

Alimentos

não perecíveis

* Veja os itens